Quem precisa de currículo?

Quem precisa de currículo?

MemberImage
16.out.2018
Samir Amad

Você sabe o que acontece quando você envia seu currículo para uma empresa?

Quando ele não fica parado no banco de dados à espera de que uma filtragem o traga à tona, geralmente, é enviado para um e-mail de uma selecionadora. Obviamente você espera que no mínimo, ele seja lido com toda a atenção. Pois bem, não é assim que na maioria das vezes isto vai acontecer. Normalmente a pessoa que está checando está ocupada e nove em dez vezes dá dois segundos de atenção antes de voltar para suas tarefas.

Você espera que alguém ligue de volta. Você quer saber se você vai conseguir o emprego. Sejamos franco. Isso não tá dando certo. Conseguir que alguém leia o seu currículo até o fim é uma conquista. Ter um currículo que vale a pena ler em primeiro lugar é ainda mais desafiador. Mas a verdade é que a maioria dos lugares não se importa com o que você fez no passado. Eles se importam com o que você está fazendo. Eles se preocupam com sua marca pessoal.

O currículo está morrendo. O que você precisa é de uma marca pessoal.

Mais do que registrar as coisas que fez numa folha de papel, ou tomar decisões de carreira pensando em como isto afetará seu CV, comece a fazer as coisas que realmente importam para você. Hoje em dia, as pessoas querem ver sua capacidade de ir atrás das coisas por conta própria. Se você é um líder de pensamento e constrói seguidores, isso significa dez vezes mais do que qualquer currículo poderia afirmar. Pense que você precisa construir algo vivo, dinâmico que tenha movimento.

Como ter uma marca pessoal o diferencia?

Digamos que você queira conseguir um emprego em marketing digital. Talvez você queira trabalhar para uma dessas grandes e sedutoras agências de publicidade. Quem você acha que eles são mais propensos a contratar? A pessoa cujo currículo diz "Altamente qualificado em marketing digital", ou a pessoa cujo currículo é um link para um site completo, um blog preenchido com conteúdo, ofertas de assinatura por e-mail, downloads gratuitos e, se o leitor quiser colocar um endereço de e-mail, uma enxurrada de e-mails automatizados que agregam valor ao leitor - talvez ensinando-os sobre novas tendências em marketing digital?

Eu contrataria instantaneamente a segunda pessoa. E você também.

O que é alucinante é como todos sabem disso, todo mundo vê a diferença cataclísmica entre esses dois candidatos, e ainda assim as pessoas querem sentar, relaxar e "desejar" que as coisas fossem diferentes.

Quer saber? Estou disposto a apostar que em 10 anos os currículos serão uma coisa do passado. Ou você tem uma presença digital e uma marca pessoal, e esse é o seu currículo vitalício, ou você vai trabalhar em um emprego de que realmente não gosta.

Isso já está acontecendo.